Por que Linux é melhor do que Windows?

Olá, essa história é longa, vamos resumir pra você.

A Microsoft nasceu com o MS-DOS, que teve origem no QDOS (Quick and Dirty Operating System), comprado da Seattle Computer Systems em Dezembro de 1980. Em 1981 houve o lançamento do computador pessoal da IBM, que teve larga adoção devido ao baixo custo. O sistema operacional dele era o MS-DOS, com uma grande jogada de mercado da Microsoft no acordo com a IBM, os direitos de comercialização do MS-DOS se mantiveram com a Microsoft. Com o tempo, surgiram diversas cópias dos computadores da IBM, sendo que todos eles tinham o MS-DOS. Em 1984, enquanto desenvolvia um novo sistema operacional junto com a IBM, o OS/2, a Microsoft lançou o Windows, como uma extensão gráfica para o MS-DOS, que foi copiado do Apple Lisa antes de seu lançamento.

Até hoje percebemos que a Microsoft copia código de outros produtos, como por exemplo:

  • A pilha TCP/IP, copiada do FreeBSD desde o Windows 2000.
  • O Aero, copiado do Linux desde o Windows Vista.
  • Algumas partes do Azure Cloud, copiadas do Linux.
  • Hyper-V, copiado do XEN.
  • Várias funcionalidades do Windows 10, copiadas do Apple OSX.

Não entraremos em maiores detalhes sobre a cópia de código feita pela Microsoft, além disso, ela tenta dificultar a vida de seus concorrentes, como exemplo podemos citar:

  • O Internet Explorer embutido a partir do Windows 95 como um componente do sistema, que erradicou o Netscape.
  • O MSN embutido no Windows XP, que acabou com a era do ICQ.
  • O Windows Media Player embutido no Windows XP, na tentativa de dominar o mercado de mídia.
  • O UEFI, que tentou barrar a instalação de outros sistemas operacionais em uma máquina com Windows 8.

Aqui também não entraremos em maiores detalhes, fizemos apenas uma introdução sobre a história da Microsoft para um melhor entendimento do contexto, agora falaremos da história do Linux.

O Linux nasceu no meio acadêmico, a partir das necessidades dos estudantes. Hoje em dia o projeto é um esforço colaborativo de vários programadores ao redor do mundo, cada um contribuindo com uma parte do código, melhorando código existente ou implementando novas funcionalidades. Pelo fato de o código ser aberto, ele pode ser revisado e melhorado por muito mais pessoas do que se fosse fechado. A idéia do Linux é que: se tenha o Kernel controlando o acesso ao hardware e vários pequenos softwares bem feitos, cada um respondendo pela sua respectiva função, enquanto que a do Windows, é que se tenha um sistema responsável por tudo, tornando o código complexo e consequentemente pior.

A Microsoft inventou necessidades e as empurrou pro mercado, uma delas foi a usabilidade de seus produtos, o que não foi uma boa estratégia. Na época do Windows 2000 Server, o sistema já vinha com vários serviços habilitados por padrão e permissões de controle de acesso bem relaxadas, bastava instalar e pronto. Eles perceberam que isso não era uma boa estratégia, por causa do grande número de ataques e começaram a melhorar isso a partir do Windows Server 2003, que já vinha com certo grau de controle, como por exemplo os wizards para reduzir a interface de ataque ao sistema. Outra coisa implementada foi a auditoria de acessos habilitada por padrão. Na época do Windows 2000 Server, não havia como investigar um ataque, pois pela facilidade de uso, os administradores não habilitavam a auditoria de acessos do sistema ou nem sabiam de sua existência. Atualmente estamos na versão Windows Server 2016, na qual houveram muitas melhorias em relação as versões anteriores, em contrapartida, foram implementados novos serviços, que poderão ser alvos de ataques gigantescos, como por exemplo, o Server Manager, que permite que você gerencie todos os seus servidores Microsoft de um local central. E se o seu local central de gerenciamento for atacado?

Apesar das melhorias implementadas pela Microsoft ao longo do tempo, os seus produtos ainda são alvos de muitos ataques, pois pela facilidade inicial de implementação, que necessita que vários serviços ainda venham habilitados por padrão ou do uso intensivo da interface gráfica, permitem que pessoas sem conhecimento ou experiência implementem seus produtos. Como prova do problema causado por esta facilidade de uso, basta relembrarmos dos recentes ataques do Ransomware…

Mais um exemplo Microsoft, qual o custo de se proteger uma estação de trabalho com Windows? No mínimo um antivírus e um antispyware bem configurados, fora o hardware, que não pode ser antigo pois poderá ser incompatível ou não executar seus programas adequadamente.

Finalizando o nosso artigo, podemos dizer que o Linux é um sistema muito melhor que o Windows, o que pode ser comprovado pela história, a arquitetura do Linux é muito melhor, mas não apenas isso. Um administrator com conhecimento e experiência, pode implementar um servidor Linux em um hardware modesto e as opções de configurabilidade são muito maiores do que as do Windows, que é engessado pela interface gráfica e pelo design. Como exemplos de configurabilidade podemos citar:

  • O particionamento de disco, no Linux, temos a opção de colocar cada tipo de arquivo em sua respectiva partição e implementar controles de acesso nela, tais como desabilitar o bit de executável onde não há necessidade. Também podemos alocar os dados dos usuários numa partição exclusiva para isso, além de poder colocar arquivos estáticos ou dinâmicos em suas respectivas partições com os devidos controles de acesso implementados. No Windows não temos isso, fica tudo num lugar só.
  • O firewall do Linux é implementado na camada de rede, enquanto que o do Windows é implementado na camada de software, tendo uma performance muito menor, além de ter menos segurança.
  • O escalonamento de hardware do Linux é muito melhor, basta comparar os uptimes de servidores com Windows e Linux, o do Linux é muito maior.
  • O Linux permite configurar quantos processos ou arquivos um determinado usuário poderá abrir no sistema, o Windows não.
  • No Linux, podemos configurar usuários para determinados processos, os quais não tem nem acesso ao Shell, no Windows, cada usuário criado tem acesso ao sistema.
  • No Linux não precisamos de antivírus, sim, isso mesmo, não precisamos de antivírus!
  • No Windows, a grande maioria dos arquivos é executável, o que amplia muito o vetor de ataque, no Linux, além do controle implementado já no particionamento, a maioria dos arquivos não são executáveis.

Neste nosso artigo, que ficou grande, tentamos resumir e explicar por que o Linux é melhor do que o Windows, não entramos em maiores detalhes, do contrário ficaria gigantesco e difícil de ler.

Esperamos que gostem, comentários são bem vindos, obrigado!

Compartilhe na rede:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Conheça o Autor

Adiel de Lima Ribeiro
Adiel de Lima Ribeiro
Nós revolucionamos sua empresa através do Cloud.
Em nossos projetos nós utilizamos o que há de melhor no mercado de tecnologia para que você impulsione seus negócios com segurança e agilidade.
Nós atuamos com todo o planejamento, a implementação e a administração da parte de Tecnologia da Informação para sua empresa. Conheça nossas soluções na Amazon Web Services!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *